Posts Tagged ‘Opinião’

h1

Marcha da Maconha: o perigoso caminho da insensatez

02/05/2012

Amigos leitores, primeiramente permitam-me que eu peça desculpa pela minha longa ausência. Não é falta de interesse, mas sim falta de tempo. Dito isso, voltemos ao assunto: recebi um comentário muito interessante em um post antigo que publiquei contra as drogas. O comentário, postado pelo coronel da reserva da PM do Rio de Janeiro Milton Corrêa daCosta, expressa a preocupação com relação a manifestações como a Marcha da Maconha que ocorrerá no próximo sábado, dia 5 de maio de 2012. Para quem, assim como eu e o coronel, se recusa a acreditar que “uma erva natural não pode te prejudicar” (como já dizia uma infame canção) recomendo a leitura do artigo no Observatório da Violência. Importante: não estou recomendando a leitura do arquivo como uma forma de pregação moral, mas para uma reflexão sobre algo que diz respeito à sociedade como um todo. Outra coisa, não estou dizendo que concordo integralmente com o texto (por exemplo: o trecho que diz que a legalização aumentaria o número de usuários é algo que eu considero questionável), mas certamente é algo que merece ser lido com atenção.

P.S.: Para os fanáticos pró-maconha de plantão* que adoram rotular quem se opõe a eles de fascista, peço que leiam o artigo antes de criticar e que o façam com o mínimo de respeito.

* Note que não me refiro a todos os que são favoráveis à legalização da droga, mas sim aos que oferecem apoio incondicional à causa sem medir as conseqüências.

Anúncios
h1

Review: Ebookmais

18/01/2011

O Ebookmais é um ótimo blog para os fãs da leitura (como eu).

 

http://ebookmais.blogspot.com/

 

No blog, o autor disponibiliza resenhas e downloads do livros (com a recomendação de que após a leitura o livro seja comprado). Há também alguns audiobooks (livros para ouvir).

 

Recomendo!

h1

Dia 20 de novembro – Dia da Consciência Negra

20/11/2010

Hoje, dia 20 de novembro, é Dia da Consciência Negra (e Dia de Zumbi). Hum… Dia da Consciência Negra… Tem algo neste conceito que me deixa desconfortável. Antes que algum fanático venha dizer “Ih! Lá vem mais um tucano da elite paulista pregar o racismo”, deixe eu explicar. Para começar, não sou nem tucano, nem rico, nem paulista, nem racista.

Apesar da minha Certidão de Nascimento dizer que eu sou branco, na verdade eu sou moreno, como o caro leitor pode ver pela minha foto no blog (eu fui ficando mais escuro com o tempo, igual ao Ziraldo) e já fui agredido verbalmente por causa da cor da minha pele. Então que nenhum ignorante venha me chamar de racista.

O problema com o Dia da Consciência Negra, ao meu ver (e até o momento o Brasil ainda é um país onde um cidadão pode expressar sua opinião), é justamente criar uma divisão entre negros e brancos. Cientificamente falando, já está mais do que provado que a Espécie Humana não é dividida em “raças”.

Raças… Credo! Só de ouvir esta palavra neste contexto já me faz lembrar de Adolf Hitler e suas idéias cretinas de classificação de Humanos por este critério tão arbitrário.

Não que eu seja ingênuo de acreditar que o racismo não exista. É claro que ele existe. Mas quando o próprio Governo apóia esta teoria de divisão da Humanidade em “raças” podemos ter certeza de que as coisas não vão melhorar. Como eu já falei antes (clique aqui para ler o artigo), sou contra esse negócio de cotas raciais. Não voltarei a este assunto, mas o citei apenas como mais um exemplo de como o Governo tenta nos dividir. Será que a intenção é boa? Vindo do Governo, eu duvido. E que fique claro que isso não é uma crítica apenas ao Governo atual, porque desde o princípio o Brasil teve sua política fundamentada na corrupção.

O ponto é que, ainda que a intenção possa ser boa, o efeito é muito ruim. Creio que as pessoas deveriam parar de olhar para aquilo que nos faz diferentes (neste caso, a cor da pele) e começar a reparar mais no que nos torna iguais.

h1

STF manda prender Deputado

28/09/2010

Pela primeira vez na História, o STF manda prender alguém. E foi logo um Deputado! Trata-se de José Fuscaldi Cesílio (PTB-GO), condenado a sete anos de prisão em regime semiaberto e multa no valor de R$6.000,00 por apropriação indébita previdenciária e sonegação fiscal.

O que mais espanta, ao meu ver, não foi o fato de ter sido a primeira vez que o STF manda alguém para a cadeia desde 1988, data da promulgação da atual Constituição Brasileira. O surpreendente é ver um Deputado prestes a ser preso na Terra da Impunidade. Para que vocês vejam como o Leão do Imposto de Renda é violento: não perdoa nem um político de uma das Nações mais corruptas do mundo (veja o Ranking da Corrupção de 2009 neste link).

Seja como for, o importante é que ao menos um corrupto será preso neste país. É triste, mas na situação que o Brasil vive já é um grande avanço. Parabéns para os Ministros do Supremo Tribunal Federal por esta tentativa de moralizar esta decadente Nação.

P.S.: Na verdade, os advogados do referido Deputado ainda podem entrar com Embargos de Declaração, mas eu estou sendo otimista e espero que, ao menos desta vez, não se encontrem brechas na lei (até porque,  ao sonegar impostos ele mexeu com os interesses dos “tubarões”).

Fonte:

http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default2.jsp?uf=2&local=18&source=a3055349.xml&template=3898.dwt&edition=15590&section=134

h1

Já percebeu como banalizam a Língua Portuguesa?

04/08/2010

Tem certas palavras e expressões que ficam banalizadas, seja pelo uso em excesso ou simplesmente por uso equivocado.

Exemplos:

Polêmica – Na tv se diz até que um artista da Globo com namorada nova é polêmica (talvez porque eles têm uma “gigantesca” diferença de idade de 5 anos, ou outra besteira do tipo). Que o diga o TV Fama, mestre em transformar tudo em polêmica. Fora quando eles vêm com chamadas do tipo “Bomba! Lima Duarte morreu?” para logo em seguida dizer “Calma, foi só o personagem dele na novela”. (exemplo fictício para fins de ilustração).

Literalmente – Este é um caso de mal uso mesmo. Literalmente é algo que aconteceu de fato, ou seja, não estamos falando em sentido figurado. Mas de uns tempos para cá o “literalmente” veio a substituir o “bonito” (no sentido de ênfase). Por exemplo: “José quebrou a cara bonito” (enfatiza que ele passou por um infortúnio). Mas hoje em dia se diria: “José quebrou a cara literalmente” (chamem um médico, porque se ele quebrou a cara literalmente é porque o coitado está com os ossos da face fraturados).

Urgente – Urgente quer dizer que deve ser feito com prioridade sobre as outras coisas. Quem quer que tudo seja considerado urgente está, sem saber, dizendo: “coloque tudo acima de tudo na pilha de prioridades”. Na melhor das hipóteses isso não muda nada (A é melhor que B, mas B é melhor que A, então na verdade ambos são iguais). Na pior das hipóteses apenas causa confusão, pois quem tenta fazer tudo ao mesmo tempo, porque tudo é urgente inevitavelmente vai “tropeçar”.

Todos são especiais – É a mesma lógica do “urgente”. Ora, se todos estão acima de todos, então na verdade todos somos iguais. Só que nesse caso há uma ressalva: a expressão faz sentido, sim, com uma pequena mudança – “todos são especiais à sua maneira”. Mas aí a história é outra. Muda-se completamente o sentido da frase.

Rock – Calma, antes que alguém me diga que Rock é uma palavra inglesa, e não portuguesa, deixe-me lembrá-los de que trata-se do nome de um dos mais famosos estilos musicais que existem, e como tal, inevitavelmente entrou no nosso vocabulário. Mas, voltanto ao tema em questão, o problema aqui é que a mídia “vende” qualquer banda ou artista solo que toque uma guitarra como roqueiro. Rock é atitude! É muito mais do que simplesmente tocar guitarra. E nem vou entrar no mérito dessas bandas de garotinhos chorões com franjinha que se acham Hardcore. Ah, se o Slash ouve isso… rsrsrs Mas, falando sério, nada contra. Só que cada coisa tem seu nome.

Chacina – Nos últimos anos, qualquer assassinato com mais do que duas vítimas é chamado de chacina, desde que o crime seja cometido pelo tráfico ou por policiais fora-da-lei. Chacina na verdade significa massacre, extermínio, morticínio em grande escala. Se chamam o assassinato de três pessoas de chacina, quando vão falar de um massacre de vinte pessoas e usarem a palavra chacina, esta não tem a mesma força.

Celebridade – Antigamente, para ser célebre uma pessoa deveria se destacar nas Artes, na Ciência, nos Esportes, na Religião… Hoje em dia basta passar uns dias em um casarão vigiado por câmeras 24 horas por dia e voilà!, nasce uma estrela!

Virgem – Deixei o caso mais bizarro por último. Virgem é quem nunca fez sexo. Simples assim. Mas a Mídia tem essa mania estranha de achar que virgindade é algo estritamente ligado ao hímen (pelo jeito, nós homens somos, por nossa própria natureza, “não-virgens” desde o nascimento, posto que não temos hímen). Veja dois casos reais que ilutram com perfeição o que eu digo: o primeiro é o da Ângela Bismarchi que fez uma cirurgia para reconstituir o hímen e, pasmem!, voltar a ser virgem. Seria melhor ter pedido ajuda ao Doutor Emmet Brown, do filme De Volta Para o Futuro. Ele poderia viajar no tempo e impedir que ela deixasse de ser virgem, he he he. O outro caso a que me refiro é o da sobrinha da Gretchen, Carol Miranda, que fez um filme pornô e… continuou virgem! Como assim? Ela fez sexo ou não fez? A desculpa que eles dão é que sexo anal não conta. Tá legal… Me engana que eu gosto. Me faz até lembrar do Bill Clinton que dizia que sexo oral não é sexo.

h1

Como é que ainda tem gente que acredita nos políticos?

14/07/2010

Sinceramente, creio que já está mais do que provado que os políticos só querem nos explorar. O Governo atual, por exemplo, segue a linha do “faça o que quiser, porque tudo o que dá voto é da lei” e menospreza a ética pública como nunca antes na história deste país (não que os anteriores tenha sido um exemplo moral).

Apossam-se das conquistas de seus antecessores (como o Real) para em seguida satanizá-los. Acusam a “oposição” (sic) de entregar o país para as empresas privadas quando os bancos estão batendo recordes de lucro. Defendem-se das acusações de corrupção com acusações contra a “oposição”, como se o erro de um justificasse o do outro. E apesar disso tudo ainda tem gente que se dedica a defender essa corja, não com uma visão de que eles são os mais toleráveis na atual conjuntura (o que poderia ser até aceitável), mas com a visão de que eles realmente são bons e lutam pelo povo.

E a “oposição”, o quê é que ela faz? Faz acordos com o Governo para garantir os seus próprios feudos. Denunciar (com seriedade, nada desse fogo de palha que se vê) toda a podridão do Governo? Fora de cogitação – eles também têm o rabo preso.

Acorda, Brasil! Chega dessa ideologia barata de “Governo do Proletariado”! Nenhum Governo é do Proletariado. Governo é Governo. Povo é Povo. Eles de um lado, nós do outro. Eles buscando o Poder, nós a Sobrevivência (ou um pouco de conforto, para os cidadão de Classe Média).

O Lula foi pobre, foi do Povo? Foi. Veja bem: foi (passado). As pessoas mudam. O sindicalista que lutava pelos operários e a quem eu admirava pela bravura (como dizem: só quem não tem coração nunca admirou o Socialismo e só quem não tem cérebro persiste nessa idéia…), o que denunciava os males do Capitalismo, o que se opunha a “mais-valia”, este homem não existe mais. Agora é o “Lulinha Paz e Amor” que negocia com banqueiros porque sabe que no final das contas o Capitalismo sempre triunfará (não estou dizendo que isto é bom, apenas constando um fato; veja o Chê, por exemplo, que virou um ícone pop). A verdade nua e crua é que o Socialismo é a ideologia da inveja: está na vala? Nivele a todos por baixo. “Como ousar prosperar quando eu não prospero!” Começou a subir na vida? “Bom, não podemos ser radicais, não é mesmo?, vamos conversar…”

Querem votar na Dilma? Pois que votem! O Brasil ainda é um país livre, apesar das tentativas em contrário do Governo (alguém se lembra do Conselho de Jornalismo?). Mas se o fizerem, façam porque na situação atual ela lhe parece a “menos pior” (na minha opinião nem isso ela é, mas cada um sabe de seu próprio voto – não farei do meu blog um palanque pedindo votos para ninguém). Não sejam tolos de acreditar que ela é por nós, porque não é (o mesmo vale para o Serra e os outros).

É claro que é reconfortante se esconder nas brumas da ideologia; fantasiar um paraíso no qual somos todos iguais. Mas, por mais sonhadores que possamos ser (e eu sou um sonhador), chega uma hora que temos que acordar para a realidade. Se um dia o Brasil vier a ser um lugar bom para morar, será por nossos esforços como indivíduos, e não pela ação do Governo – tenha certeza disso!

E para os ufanistas que se incomodaram com este última frase: o Brasil realmente não é um lugar bom de se morar (a não ser talvez para os mais abastados). Se dúvida, coloque seu filho em uma escola pública para ver como seus impostos estão sendo usados; quando ficar doente, vá a um hospital público; se tiver uma condição um pouco melhor, experimente comprar um relógio caro e sair na rua – quanto tempo levará para ser assaltado? (lutamos feito condenados para poder comprar as coisas e nem sequer temos o direito de usar por causa da bandidagem)

Como eu disse antes, o Blog do Rodrigo Guedes não é um palanque a favor de candidato nenhum (sou apolítico com orgulho). O objetivo deste artigo é apenas tentar abrir os olhos de quem o leia para que vote com consciência (o triste é que justamente quem mais precisa de uma mensagem deste tipo nunca terá a chance de ler este artigo ou outro nesta linha de pensamento). Quem vencerá as próximas Eleições? Não sei. Mas sei quem perderá: nós, o Povo (como sempre).

h1

A Arte da Copa – Alvaro Palhano

09/06/2010

Aí vai uma dica para os fãs de futebol (ou quem vê a Copa, pelo menos): meu grande amigo Alvaro Palhano escreveu um artigo excelente chamado a Arte da Copa. Confira:

http://www.ignezferraz.com.br/mainportfolio4.asp?pagina=Blogs&cod_item=3446

Eu sei que sendo amigo do autor eu sou suspeito para falar, mas podem acreditar que estou sendo o mais imparcial possível.

Recomendo!